Quando é melhor fazer declaração do IR simplificada ou completa

Entenda a diferença entre os dois modelos de declaração do Imposto de Renda para enviar a sua até 30 de abril


12/03/2018 12h36

Você tem até dia 30 de abril para declarar o Imposto de Renda 2018. Está em dúvida se é mais vantajoso fazer a declaração simplificada ou completa? Não há mistério.

Basta preencher as informações detalhadas, incluindo  todos os gastos dedutíveis, que o próprio programa da Receita mostra a melhor opção. No canto inferior esquerdo da tela, que mostra o valor do imposto a ser restituído ou a pagar, há um quadro comparativo dos dois modelos.

O quadro fica sempre exposto na tela. Assim, é possível comparar os modelos de tributação antes mesmo de terminar de preencher a declaração.

Se a declaração completa for mais vantajosa, basta clicar em “Por deduções legais”. Se for melhor a simplificada, é só clicar em “Por desconto simplificado”.

Como é feito o cálculo

O programa calcula se os gastos realizados em 2017 que podem ser abatidos da base de cálculo do IR ultrapassam 20% dos rendimentos ou até 16.754,34 reais.

Se sim, vale a pena preencher a declaração completa para pagar menos imposto, como explica o contador Alan Martins, professor de direito tributário do CERS Cursos Online.

Se não, o contribuinte deve optar pelo modelo simplificado. Nesse modelo, o abatimento único de 20%, até 16.754,34 reais, substitui todos os gastos dedutíveis.

Para quem ganha mais de 83.771,70 reais por ano (cerca de 6.980,97 reais por mês), o modelo completo é mais vantajoso. Isso porque o contribuinte vai abater menos de 20% da renda tributável, pois não poderá deduzir mais que o valor limite de 16.754,34 reais.

Quanto mais gastos dedutíveis, menor será a renda tributável e, consequentemente, o valor do imposto a pagar. Em geral, o modelo completo é mais indicado para quem tem mais tem mais de uma fonte de renda, dependentes e muitas despesas dedutíveis com saúde e educação.

Já a declaração simplificada é mais vantajosa para quem tem apenas uma fonte de renda, nenhum dependente e poucas despesas com educação e saúde.Fonte: Exame


Avança Varejo